Avis é uma vila portuguesa no Distrito de Portalegre, região Alentejo e sub-região do Alto Alentejo, com cerca de 1 900 habitantes. É sede de um município com cerca de 5 000 habitantes, subdividido em 8 freguesias. O município é limitado a nordeste pelo município de Alter do Chão, a leste por Fronteira, a sul por Sousel e por Mora e a noroeste por Ponte de Sôr.
Foi sede da Ordem de Avis, ordem de cavaleiros portugueses, que parece ter tido origem em Castela, como ramo da Ordem de Calatrava, embora muitos historiadores afirmem sua criação em Portugal, no século XII, por D. Afonso Henriques.


Património:
  • O Castelo de Avis localiza-se na vila e Freguesia de Avis, no Distrito de Portalegre, em Portugal, e a sua edificação prende-se à instalação da Ordem Militar de São Bento de Avis na região do Alentejo.

  • O Convento da Ordem de Avis, situado dentro dos limites do castelo, cuja edificação se prende à instalação da Ordem Militar de São Bento de Avis na região do Alentejo. Quando da extinção das ordens religiosas em Portugal no século XIX, esse património desfez-se, tendo as dependências do Convento em Avis sido vendidas a particulares. Na época, a Câmara Municipal adquiriu a residência dos mestres da Ordem, instalando na mesma os Paços do Concelho.

  • O Museu Municipal de Avis - Etnografia e Arqueologia está instalado na sala do Capítulo do antigo Convento de São Bento de Avis desde o final da década de 80 do século XX. Do seu acervo composto por três núcleos: arqueologia, artesanato e etnografia, fazem parte peças recolhidas pelos funcionários do Município e pelo Artesão local, António Bonito, bem como peças doadas pela população.

  • O Pelourinho de Avis está localizado na freguesia portuguesa e concelho de mesmo nome, distrito de Portalegre, Portugal. É um exemplar em mármore branco encontrando-se na Praça Serpa Pinto, em jardim público, perto da igreja matriz. O pelourinho é constituído por uma coluna quadrangular de mármore, assente sobre uma base e rematada por um capitel. Tem como referência iconográfica mais importante a ave simbólica da vila – AVIS – a águia de asas abertas e está classificado como Imóvel de Interesse Público.

  • Intervenção Arqueológica, pois que as obras de requalificação do Largo Dr. Sérgio de Castro em Avis puseram a descoberto, níveis arqueológicos conservados, aos quais estavam associadas ossadas humanas, sugerindo a existência de uma necrópole junto à Igreja Matriz.

  • O centro histórico e o espaço envolvente da vila, constituem também locais de visita obrigatória.



Património:
  • Na Gastronomia, Avis possui também características únicas, nomeadamente ao nível dos doces conventuais, que ocupam sempre lugar de destaque. Assumindo a sua importância sociocultural e económica, a gastronomia é também parte integrante da oferta turística de qualidade que esta vila lhe pode oferecer. Os pratos de "Porco", de "Borrego", de "Vitela", as "Sopas Alentejanas", as "açordas" e as "migas" realçam a diversidade da nossa gastronomia, ligada ao mundo rural, preservado, com toda a sua importância cultural, representando um contributo para desenvolver e promover o rico património histórico do concelho e potencializar as nossas capacidades na área do turismo.


Para outras informações úteis e detalhe consulte o site: www.cm-avis.pt

© Monte do Cuca. Todos os direitos reservados.