Montemor-o-Novo é uma cidade portuguesa, no Distrito de Évora, região Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com cerca de 12.000 habitantes. É sede de um dos maiores municípios de Portugal, e está subdividido em 10 freguesias. A cidade situa-se nas freguesias de Nossa Senhora da Vila e de Nossa Senhora do Bispo. Por sua vez, as restantes freguesias são formadas pelas aldeias que lhes deram o nome e outros pequenos povoamentos. 
O município é limitado a norte pelo município de Coruche, a leste por Arraiolos e por Évora, a sul por Viana do Alentejo e por Alcácer do Sal e a oeste por Vendas Novas e por um dos territórios do concelho de Montijo. Localiza-se a cerca de 100km de Lisboa.
A cidade de Montemor-o-Novo foi edificada entre três montes: o maior, designado por o do Castelo de Montemor-o-Novo, o da igreja da Nossa Senhora da Visitação e o da igreja da Nossa Senhora da Conceição.
Na economia a produção de carne é o seu principal factor sendo o concelho do país que mais carne produz.



Actividades


  • O Monte Selvagem, situado no Lavre, concelho de Montemor-o-Novo, existe um espaço com cerca de 20 hectares, que combina na perfeição um parque de lazer e uma reserva animal - o Monte Selvagem! Um dia passado no Monte Selvagem é uma aventura inesquecível para grandes e pequenos, um dia divertido e em que também se aprende muito sobre animais, plantas e jogos da região. Uma visita completa ao Monte Selvagem passa por 3 vertentes distintas: a visita pedestre, de tractor ou a participação no projecto pedagógico de evolução selvagem, que tem em vista educar e sensibilizar as populações relativamente às questões ambientais e de conservação da   Biodiversidade, estimulando o gosto pela aprendizagem em lazer e o respeito pelo ambiente, pelos animais e pelas plantas.  




  • O Telheiro da encosta do Castelo, com a produção artesanal de cerâmica para construção. O Telheiro é constituído por uma área plana em terra batida, a eira, onde o tijolo burro e outros materiais são fabricados e secos ao sol. Depois são cozidos num forno à Portuguesa - forno de secção quadrada, de "tiro directo".




  • Centro de produção de cal de Caeiras, que até há cerca de 30 anos, era um dos mais importantes centros produtores e distribuidores de cal da região de Montemor, derivando o seu nome da existência de várias caleiras (fornos de cal) nas proximidades. Grandes fornos circulares, construídos em tijolo burro, onde era cozida a pedra extraída nas proximidades, para fazer cal.




  • Fornos de Carvão do Escoural, local onde produção de carvão vegetal é uma actividade muito antiga. Os fornos, de forma oval, eram feitos com pilhas de madeira de sobro e azinho e cobertos com palha, mato e terra. Eram acesos no Verão e passadas três a quatro semanas o carvão estava cozido. Actualmente, a maior parte dos fornos de carvão são construídos em tijolo e cobertos com terra. No interior a lenha de sobreiro ou azinheira é arrumada e cozida.



Património


  • O Castelo de Montemor-o-Novo localiza-se na freguesia de Nossa Senhora da Vila, concelho de Montemor-o-Novo, distrito de Évora, no Alentejo, em Portugal. Em posição dominante sobre o outeiro mais alto da região, o castelo abrigava originalmente nos seus muros a povoação que, desenvolvendo-se, expandiu-se pela encosta a Norte. Afirma-se que neste castelo Vasco da Gama ultimou os planos para a sua viagem à Índia.




  • O Convento de São Francisco localiza-se na Freguesia de Nossa Senhora da Vila, Concelho de Montemor-o-Novo, Distrito de Évora, em Portugal, sendo a data exacta da fundação deste convento desconhecida, embora alguns cronistas indiquem o ano de 1495. O Convento de São Francisco apresenta uma arquitectura de grande simplicidade, composto pela igreja, cuja fachada foi alterada no século XVII, o claustro e a antiga sala do capítulo.




  • O Convento de Nossa Senhora da Saudação, em Nossa Senhora da Vila (Évora), teve origem na congregação de algumas mulheres lideradas por Joana Dias Quadrada que, para praticarem uma vida de recolhimento e devoção, se juntaram sem inicialmente obedecerem às regras de qualquer ordem religiosa. No entanto, em 1506, adoptaram a Regra de vida das monjas dominicanas, passando a estar integradas na Ordem dos Pregadores. As obras de construção do Convento deverão ter começado em 1502. A frontaria principal do edifício, conserva alguns elementos arquitectónicos característicos da época de fundação. Na entrada da Portaria-Mor, antiga entrada principal do Convento, pode ainda observar-se uma esfera armilar, característica da arte manuelina. Também a chamada "Porta das Freiras" na Igreja conventual é encimada por uma esfera armilar em alto-relevo.




  • Monumentos megalíticos espalhados um pouco por todo o concelho, são um registo histórico importante a considerar.




  • A Gruta do Escoural é uma cavidade natural conhecida pela arte rupestre paleolítica e enterros, localizada no município alentejano de Montemor-o-Novo, em Portugal. Geologicamente, o sítio está localizado entre as bacias hidrográficas do Tejo, o rio Sado, e da região das planícies alentejanas, na Serra de Monfurado de onde ainda é possível avistar a Serra da Arrábida. Parcialmente selada por um espesso manto de estalagmite, a gruta é composta de várias salas e galerias. 




  • A primeira ocupação da gruta remonta ao Paleolítico Médio, quando grupos de caçadores e colectores Neanderthal a usaram como abrigo temporário para a prática da caça. Com base em provas ósseas no interior da gruta, estes grupos caçavam nas proximidades auroques, cervos e cavalos. Mais tarde, durante o período Paleolítico Superior (35000-8000 a.C.), os residentes, constituídos por grupos anatomicamente considerados modernos deixaram a sua mar na caverna.




  • Igreja de São Brissos é uma antiga igreja paroquial situada a sul da pequena aldeia de São Brissos, na freguesia de Santiago do Escoural, no concelho de Montemor-o-Novo, em Portugal. Igreja do século XVI de estilo rústico com elementos decorativos regionais e influências manuelinas e renascentistas. 




  • A Anta de São Brissos, construída entre o IV e o III milénio a.C., situa-se na freguesia de Santiago do Escoural, no concelho de Montemor-o-Novo. A anta encontra-se actualmente transformada numa pequena capela, datada do século XVII, sendo, por isso, igualmente conhecida como Anta de Nossa Senhora do Livramento ou Anta-Capela de Nossa Senhora do Livramento.




  • A Mina da Nogueirinha é uma antiga mina de ferro localizada na vertente sul da serra de Monfurado, na freguesia de Santiago do Escoural, concelho de Montemor-o-Novo.




  • Observação de aves entre Montemor-o-Novo e Alcácer do Sal está situada uma das melhores zonas, fora das áreas protegidas, para observação de aves do sul do país. Trata-se da região de São Cristóvão, uma área essencialmente composta por montados e campos abertos e uma infinidade de açudes agrícolas, enriquecendo esta zona em termos ambientais e em variedade de espécies, tanto terrestres como aquáticas. Já aqui foram registadas cerca de 250 espécies de aves. E esta lista apenas enferma pelo reduzido número de birdwatchers que conhecem esta região


Para outras informações úteis e detalhe consulte o site: www.cm-montemornovo.pt

© Monte do Cuca. Todos os direitos reservados.