Redondo é uma vila portuguesa, no Distrito de Évora, região Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com cerca de 6.000 habitantes. É sede de um município com cerca de 7000 habitantes, que está subdividido em 2 freguesias. As freguesias de Redondo são Montoito e Redondo. O município é limitado a norte pelos municípios de Estremoz e de Borba, a leste por Vila Viçosa e pelo Alandroal, a sueste por Reguengos de Monsaraz e a oeste por Évora.


Património
  • Castelo Prédio Militar nº1, foi mandado construir por D. Dinis,  trata-se de uma cerca militar, classificada como Monumento Nacional e como Zona Especial de Protecção. A Planta tem a configuração de uma elipse irregular murada, de grossa alvenaria, sem cortina ameiada, conservando ainda o adarve, embora parcialmente interrompido. Possui quatro torreões de forma arredondada e duas torres, uma virada a Noroeste, Torre de Menagem, e outra a Sudeste, a da Alcaidaria. Apresenta duas portas com arcos góticos: a nordeste fica a Porta da Ravessa ou do Sol, onde existe a marca oficial da vara e do côvado, a que os industriais do pano se tinham de submeter nos mercados e feiras; a sudoeste está a Porta do Postigo, que foi aumentada no período Manuelino, por novo arco de alvenaria de volta plena decorada com o brasão de armas do donatário da vila, D. Vasco Coutinho.


  • O Convento de São Paulo foi erguido a meia encosta da Serra da Ossa pelos monges da ordem de São Paulo Eremita. Testemunham várias crónicas que o Convento de São Paulo acolheu, durante séculos, figuras célebres como D. Sebastião, D. João IV e D. Catarina de Bragança.


  • Como antigo Convento Palaciano, detém um dos mais notáveis núcleos de painéis de azulejos do país, com temas bíblicos e do hagiológio cristão da autoria de artistas anónimos. Mais de 54.000 azulejos, baixos-relevos em terracota e outras preciosidades como a fonte florentina das quatro estações e a Igreja Velha que justificou a sua classificação de interesse público e monumento nacional.


  • A Torre de Menagem, construção militar palaciana, destinada a substituir a primitiva, é obra do tempo de D. Afonso V, que ordenou a sua feitura nos últimos anos do seu governo, com determinação de uma colecta aplicável sobre os vinhos de Évora. Todavia, a empreitada terá sido concluída já no reinado de D. Manuel, como o parece provar a formosa abóbada do 2º piso.


  • O pelourinho, eventualmente correspondente ao tempo do foral novo, de D. Manuel, encontrou-se durante anos diante dos paços do Concelho tendo sido reconstruído, nos anos 30 junto ao Castelo, na Praça D. Dinis. É formado, presentemente, por uma simples coluna estriada, com remate periforme de prováveis elementos originais. Falta-lhe a peanha, que se improvisou com base quadrada repousando em dois degraus de pedra. Está classificado como Imóvel de Interesse Público.


  • A Ermida de São Pedro, situada no extremo norte – ocidental da vila num ponto elevado da antiga tapada de S. Pedro, alcançando-se hoje, por uma escadaria de pedra ordenada. A sua fundação é ignorada, mas conhece-se a sua já existência no ano de 1534. A igreja é composta por alpendre, nave, capela-mor e sacristia. De planta rectangular distribui-se em alçado de três tramos de arcadas falsas, por banda e tecto de meio canhão liso.


  • A igreja do Espírito Santo, um edifício religioso já existente no século XIV, tendo sido Comenda da Ordem de Malta, passou mais tarde para a de Avis. Apresenta na abside primitiva uma típica abóbada poli nervurada, do tempo de D. João III.

Gastronomia
  • A Gastronomia típica do Alentejo, com as azeitonas, enchidos, queijos, omeleta com espargos, presunto, pezinhos de coentrada, as sopas de cação, a sopa da panela, a açorda, o gaspacho, a sopa de hortelã, os pratos de peixe com o cação de coentrada, e o cação frito, os pratos de carne como o ensopado de borrego, o cozido de grão à alentejana, o coelho assado no barro, as burras assadas, as migas à alentejana, e finalmente a doçaria com destaque para o doce regional, a Sericaia, o Pão de Rala, a Encharcada, o Bolo de Mel e o Arroz doce.


  • Os vinhos da região destacam-se também como opção de grande qualidade e particularidade de uma região reconhecida pela eleição das suas colheitas.

Para outras informações úteis, e detalhe consulte o site: www.cm-redondo.pt

© Monte do Cuca. Todos os direitos reservados.