Pavia
é uma vila portuguesa tipicamente alentejana do Concelho de Mora, com uma população de cerca de 1.600 habitantes, que foi sede de concelho entre 1287 e o inicio do século XIX. Este território foi povoado desde épocas pré-históricas, conforme comprovam numerosos monumentos megalíticos existentes nessa área. As origens deste agregado populacional, o mais antigo do concelho de Mora, remontam a um núcleo de imigrantes italianos, que se fixaram a instâncias de D. Dinis, tendo este concedido em 1287 a primeira carta de foral. Em 1486 viria a ser cedida por D. João II ao Conde de Borba, com direitos sucessórios.

Esta Vila pertenceu, por doação, a vários nobres e à Coroa. A posição de defesa amuralhada, de difícil acesso a Norte, sugere a origem feudal do futuro "burgo". As edificações urbanas alinhadas ao longo do caminho em cumeada traduzem um processo de formação e crescimento da Baixa Idade Média. A Vila de Pavia é actualmente composta por duas povoações Pavia e Malarranha.

A sua história está intimamente ligada a duas ilustres personalidades que ali viveram. Fernando Namora, que para além da profissão de médico que exerceu nesta terra, também escreveu sobre estas gentes e sobre as belas paisagens que espreitam a vila, deixando ainda um legado composto por algumas telas que retratam essas mesmas paisagens; e Manuel Ribeiro, consagrado pintor que haveria mais tarde por adoptar o nome da Vila, do qual existe um museu com vários originais de reconhecida qualidade artística.


Património:

  • A Anta de Pavia, uma das mais importantes de Portugal, foi erguida entre o IV e o III milénio A.C. transformada em Capela de S. Dinis, está classificada como um Monumento Nacional. 
     
  • A Igreja Matriz de Pavia, está edificada no século XVI dentro do velho e destruído amuramento que protegeu o paço fortificado dos Condes do Redondo, num estilo arcaizante dos templos fortalezas, oferecendo uma majestosa e severa perspectiva de silhueta acastelada.

  • Casa Museu Manuel Ribeiro de Pavia, especialmente dedicada ao artista com o mesmo nome, onde figuram expostos originais do pintor, com destaque para os desenhos a tinta-da-china e litografias coloridas à mão, entre outras obras.          

  • Cromeleques do Monte das Fontainhas Velhas, identificado por restos de cromeleque compostos por seis megalíticos do tipo almendrado, cinco considerados "in situ" embora apenas três estejam erguidos. Trata-se de monumentos da pré-história, estando associados ao culto dos astros e da natureza, sendo considerados um local de rituais religiosos e de encontro tribal. 

  • A Ponte Medieval sobre a Ribeira de Têra e as Azenhas do Moinho Derrubado, constituem também motivos visita obrigatória na freguesia. 
       
Gastronomia:

A cozinha tradicional alentejana tem um lugar de destaque em qualquer um dos restaurantes do Concelho de Mora. Migas de Espargos, Sopa de Cação e pratos confeccionados à base de caça são algumas das especialidades que neles podem ser degustadas.


O Concelho:
Pavia está situada no concelho de Mora, distrito de Évora.
Mora é sede de um município com cerca de 6.000 habitantes, e é limitado a Norte pelo município de Ponte de Sor, a nordeste por Avis, a leste por Sousel, sueste por Arraiolos e a Oeste por Coruche. Fazem parte deste concelho as freguesias de Pavia, Cabeção, Brotas e Mora.
Este concelho recebeu carta de foral de D. Manuel em 1519.


Para outras informações úteis e detalhe consulte o site: www.cm-mora.pt

© Monte do Cuca. Todos os direitos reservados.