Mora
é uma vila portuguesa, no Distrito de Évora, região Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com cerca de 2 800 habitantes. É sede de um município com cerca de 6.000 habitantes, subdividido em 4 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Ponte de Sôr, a nordeste por Avis, a leste por Sousel, a sueste por Arraiolos e a oeste por Coruche. As freguesias de Mora são Pavia, Brotas, Cabeção e Mora.

Património:

  • Torre das Águias localiza-se na povoação de Águias, freguesia de Brotas, concelho de Mora, Distrito de Évora, em Portugal. É um dos exemplares mais significativos de torres manuelinas na região embora careça de urgente intervenção de consolidação e restauro por parte do poder público.

  • Igreja de Nossa Senhora das Brotas, ou Igreja Matriz de Brotas, situa-se em Brotas, Mora, distrito de Évora, Portugal, e é um edifício quinhentista, fundado pouco antes de 1424 como comenda da Ordem de Avis. Época dominante: Séculos XVI - XVII.

  • Pelourinho de Cabeção situa-se no largo da Junta de freguesia em Cabeção, Mora, distrito de Évora. O pelourinho está classificado pelo IPPAR como Imóvel de Interesse Público.

  • A Anta de Pavia, uma das mais importantes de Portugal, foi erguida entre o IV e o III milénio A.C. transformada em Capela de S. Dinis, está classificada como um Monumento Nacional.

  • A Igreja Matriz de Pavia, está edificada no século XVI dentro do velho e destruído amuramento que protegeu o paço fortificado dos Condes do Redondo, num estilo arcaizante dos templos fortalezas, oferecendo uma majestosa e severa perspectiva de silhueta acastelada.

  • Casa Museu Manuel Ribeiro de Pavia, especialmente dedicada ao artista com o mesmo nome, onde figuram expostos originais do pintor, com destaque para os desenhos a tinta-da-china e litografias coloridas à mão, entre outras obras.

  • Cromeleques do Monte das Fontainhas Velhas, identificado por restos de cromeleque compostos por seis megalíticos do tipo almendrado, cinco considerados "in situ" embora apenas três estejam erguidos. Trata-se de monumentos da pré-história, estando associados ao culto dos astros e da natureza, sendo considerados um local de rituais religiosos e de encontro tribal.

Atracções Locais:

  • Fluviário de Mora situado na freguesia de Cabeção, concelho de Mora, junto ao Parque Ecológico do Gameiro a 120 km de Lisboa. É constituído por um conjunto de aquários e espaços envolventes, e permite observar as diferentes espécies animais e vegetais que vivem em rios, através de uma exposição de habitats naturais, aquáticos e terrestres, num percurso entre a nascente e a foz de um rio. Possui mais de meio milhar de peixes de 55 espécies diferentes.

  • O Parque Ecológico do Gameiro é um projecto que aposta essencialmente em estruturas e materiais ecológicos e é único no país. Situa-se numa zona muito rica em vegetação e é banhado pela Ribeira do Raia, conhecida pelas várias espécies de peixes que ali habitam e pelos concursos nacionais e internacionais de Pesca Desportiva, sendo uma excelente opção de praia fluvial.

Gastronomia:
Na Gastronomia, Mora possui também características únicas, nomeadamente nos doces conventuais, que ocupam lugar de destaque em qualquer festival gastronómico. Assumindo a sua importância sociocultural e económica, a gastronomia é também parte integrante da oferta turística de qualidade que Mora lhe pode oferecer. Os pratos de "Porco", de "Borrego", de "Vitela", as "Sopas Alentejanas", as "Açordas" e as "Migas" realçam a diversidade da nossa gastronomia, ligada ao mundo rural, preservado, com toda a sua importância cultural, representando um contributo para desenvolver e promover o rico património histórico do concelho e potencializar as nossas capacidades na área do turismo.

Para outras informações úteis e detalhe consulte o site: www.cm-mora.pt

© Monte do Cuca. Todos os direitos reservados.